Bolinhos Ana Maria | Diversão mais divertida

Recheio de mãe

Diversão e gostosuras para o crescimento do seu pequeno.

Festa:

Festa de aniversário econômica

Dicas pra fazer uma comemoração linda sem gastar muito!

por Ana Maria | 10 meses atrás
I hope her dreams comes true

Que mãe consegue passar batido pelo aniversário de um filho? Complicadíssimo, concordam? Por mais que o momento econômico não esteja favorável, a gente vai lá e… canta parabéns! Afinal, difícil resistir a um momento tão especial!

Mas, ainda que seja só para a família, dá pra não gastar muito? Dá!!!! Até se a festinha for para mais gente, viu? É só tentar se segurar e não sair fazendo tudo impulsivamente.

 

Ler a matéria completa >>

Lancheira Equilibrada:

Lancheira sem culpa!

Uma lista do que pode nos lanches, pra acabar com o medo de errar.

por Ana Maria | 10 meses atrás
Little boy lying on the back on the floor playing games on digital tablet.

Eles nasceram nesta era. Adeptos à tecnologia e totalmente mergulhados no mundo digital, difícil uma criança ou um pré-adolescente que fique longe de um tablet, celular ou viídeo-game! O problema é que, a gente sabe, eles andam longe demais da natureza…

Ler a matéria completa >>

Lancheira Equilibrada:

Lancheira efeito cascata!

Não é mágica, é hábito: o lanche do seu filho pode influenciar o do amigo!

por Ana Maria | 10 meses atrás
Preschool kids doing activities

Que criança não gosta de trocar o lanche com o amigo? Dar uma espiada na lancheira vizinha? Deixar de comer o que tem no próprio lanche pra comer o do colega? E não, não pense que isso só é comum entre as crianças menores. Os grandes (entre 6 e 12 anos) fazem essa troca tanto quanto, se não mais! Afinal, eles já se consideram “donos do próprio apetite”!

Ler a matéria completa >>

Lancheira Equilibrada:

Lanche pra quê?

Entenda a necessidade de pensar na lancheira da criança e não só montá-la.

por Ana Maria | 10 meses atrás
Primary School Pupils Enjoying Packed Lunch In Classroom

Preparar a lancheira pode ser uma rotina cansativa e, certamente, com a repetição do hábito, pode se tornar algo mecânico demais. O bom é que, com o tempo, você não precisa mais pensar tanto antes de colocar as escolhas do dia lá. Ou seja, você escolhe tudo com mais facilidade! Mas o ruim é exatamente isso: não pensar mais no que oferece à criança no lanche, ou para queê oferecer isso ou aquilo, ou como fazer isso de formas diferentes… Por que voltar a pensar nisso? É simples! Com a correria, nossa tendência é abrir exceções ou – pior – fazer delas um hábito. Acabamos sendo pegos também pela preguiça, ou deixando para o dia seguinte, ou para a lista de mercado seguinte, e por aí vai… E não é só a questão do que vai na lancheira, mas por quê vai?

 

Ler a matéria completa >>