ELA, A BIRRA.

Recheio de mãe

Diversão e gostosuras para o crescimento do seu pequeno.

Dicas:

ELA, A BIRRA.

Não chore junto com seu filho. Aprenda tudo sobre birra e saiba como lidar com ela.

por Ana Maria | 3 anos atrás
3

Existem poucas coisas certas na vida, mas uma que podemos afirmar com toda a certeza é que a maioria das crianças é extremamente temperamental e faz birra! A psiquiatra Paula Levine afirma que, geralmente, as nuances de comportamento dos pequenos são, simplesmente, uma etapa natural do crescimento. É importante apenas não confundir birras com mau comportamento.

Entenda 4 razões para jogos temperamentais de crianças e anote as dicas para contornar as situações que fugirem do controle, sem desespero:

1. Crianças não conseguem comunicar suas vontades e necessidades como gostariam.

Crianças entre 1 e 3 anos dominam um vocabulário que gira em torno de apenas 20 palavras. Sabendo disso, fica mais fácil entender o quão frustrante pode ser a vida delas. Se uma criança adora colorir com giz de cera, ela pode se revoltar no meio da atividade por não saber dizer “vermelho” ou “amarelo”. Isso muda conforme ela for aprendendo os nomes das cores.

Quando algo desse tipo acontecer, tente manter a calma e compreender o que ela quer dizer, apontando e falando de forma alta e clara, por exemplo, os itens que a criança pode estar querendo. Isso poderá acabar com a birra e ainda ajudará a expandir o vocabulário dela.

2. Eles não têm noção de tempo.

Seu filho pode saber quando está com sede e conseguirá até informá-lo sobre isso. Mas se nenhum líquido surgir na frente dele milésimos de segundo depois, a água esperada pode fazer o temperamento do seu filho se transformar em um dilúvio.

Nesses casos, você pode usar a falta de noção do tempo a seu favor. Quando não há essa noção, abre-se espaço para a distração, que vem com muita facilidade. Assim, o desespero do seu filho, ocasionado pela sede, pode ser transformado rapidamente na alegria de uma pia cheia de bolhas de sabão, por exemplo. Portanto, seja criativo!

3. Eles têm dificuldade de controlar as emoções.

Isso faz com que eles sejam tomados por sentimentos extremamente intensos. É por isso que, muitas vezes, basta uma pequena frustração, como avisar que está na hora de sair do banho, que o show começa. Em casos como esse, mantenha a calma e diga aos seus filhos que, eles podem estar na banheira ou no parquinho pelo tempo que quiserem, mas o dia ainda está cheio de outras atividades que eles podem ou precisam fazer. Para ajudar a criança a entender, você poderá até se colocar do lado dela e dizer que sabe que ter que sair a deixará brava, mas que a saída valerá a pena.

4. Eles ficam cansados e famintos muito rápido.

Algumas crianças não se satisfazem totalmente nas refeições principais, por isso sentem a necessidade de comer pequenas porções ao longo do dia. As crianças famintas são mais temperamentais e chorosas.

Se você tiver uma dessas em casa, o primeiro passo é planejar o dia dela em torno da soneca, que é quando ela descansa do estresse diário e repõe as energias. O segundo é sempre ter lanchinhos saudáveis à mão.

Se nada disso funcionar, não discuta com a criança e tente manter (ou recuperar) o controle da situação; coloque seu filho num lugar seguro e caminhe sozinho por um minuto. Isso vai acalmar você. Quando os seus ânimos de pai estiverem sob controle, pegue a criança e continue o seu dia normalmente.

Todos os pais e mães passam por isso. É normal.

Fique ligado nas próximas dicas.

Ana Maria está junto com você.

Um grande abraço. <3

 

Fonte: Revista Pais e Filhos.