Quando comer é um “parto”

Recheio de mãe

Diversão e gostosuras para o crescimento do seu pequeno.

Dicas:

Quando comer é um “parto”

Que tal fazer dos lanchinhos dos filhos momentos de aproximação afetiva?

por Ana Maria | 2 anos atrás
istock-508298734

Você sabia que quase 84% das mães afirmam que sempre se perguntam se estão no caminho certo? E você sabia que uma das questões que mais traz culpa (e nos faz refletir!) é a alimentação dos filhos? Pois é! Muitas crianças demonstram dificuldade pra comer (bem) e isso deixa mães e pais muito aflitos.!

Daí para “dou o que ele come” é um passo não é mesmo? E que atire a primeira batata frita quem nunca se pegou cedendo ao chororô da criança – e cedeu! Às vezes a gente vai lá e coloca na frente da TV, às vezes libera uma guloseima, às vezes dá uma forçadinha pra que ela termine a refeição, e quase sempre se sente culpada!

Mas não precisa necessariamente ser assim. Conversando com o pediatra, quase via de regra, constatamos que nossos filhos estão bem de saúde, no peso adequado, crescendo conforme a curva, certo? Quando não é isso que acontece, ok, há de se conversar mais a fundo com o médico ou até um nutricionista infantil e encontrar soluções. Só que, via de regra, tá tudo bem e é só “fase” ou um comportamento típico da infância!

Uma das melhores soluções nesses casos mais comuns (em que a criança não gosta de experimentar, come pouca quantidade ou até não aceita comida em algumas refeições) é aderir ao bom senso. Ser radical demais só atrapalha e deixa as crianças mais “rebeldes” no quesito comida. Colocar no prato variedades é ótimo, mas exigir que elas comam isso ou aquilo (ou tudo!) não é o recomendado. Especialistas sugerem que a gente deixe o filho à vontade;, com as opções disponíveis de forma atrativa e a possibilidade de não provar também!

Outra dica de ouro é chamar a criançada pra participar da elaboração do cardápio da casa, desde a hora de fazer a lista do mercado até o momento de cozinhar! Você já pensou em levar os filhos junto ao hortifrútihortifruti? Esse “passeio” costuma ser uma ótima maneira de estimular a curiosidade e a vontade pelos alimentos!!! Montar um prato colorido e variar o preparo de um mesmo ingrediente também pode ajudar a abrir o apetite…

Mas tem mais! E essa é pra fazer do ato de comer algo bem prazeroso para a criança! Que tal fazer dos lanchinhos verdadeiros “acordos” e momentos de aproximação afetiva? O ideal é aliar o sabor preferido à nutrição! Como? Com opções que unam as duas coisas, como um bolinho Ana Maria da linha QD+: Duplo Chocolate, Cenoura com Chocolate ou Banana com Chocolate.! Todos são deliciosas combinações de chocolate com ingredientes naturais! Guarde na memória: sabor preferido + nutrição = diversão mais divertida!  

Afinal, hoje em dia já existe muita pressão pra ser uma mãe perfeita!